sexta-feira, 31 de julho de 2015

Câncer de rim: entenda a importância do diagnóstico

6 March 2015 | Por Liliane Rose Christ
Curta nossa página

O câncer de rim é uma doença silenciosa e quase sem sintomas, por isso, quando descoberta já está em estágio avançado e apresenta quadro de metástase, ou seja, outros órgãos, geralmente pulmão, fígados e ossos, já foram atingidos pelo câncer.

Sentir dores nas costas e sangue ao urinar podem ser sintomas de doença nos rins. Foto: iStock, Getty Images
Cerca de 60% dos casos da doença são descobertos acidentalmente e somente 10% dos pacientes apresentam os sintomas clássicos do câncer de rim, que são dores nas costas, sangue na urina e palpação do tumor no abdômen.

Sintomas e grupo de risco do câncer de rim

Além dos sintomas clássicos deste tipo de câncer – dores nas costas, sangue na urina e palpação do tumor no abdômen – a neoplasia também provoca reações diversas chamadas de síndromes paraneoplásicas.

Essas reações são causadas pela produção de enzimas e substâncias semelhantes a hormônios e podem provocar aumento da pressão arterial e das mamas, alteração do fígado, alterações hormonais e elevação dos níveis de cálcio etc.

Pessoas com mais de 50 anos são considerados grupo de risco em potencial, além de fumantes, principalmente homens, obesos, hipertensos, pacientes em hemodiálise, pessoas que fazem uso indiscriminado de diuréticos por período prolongado e também pacientes com doenças genéticas, como esclerose tuberculosa ou doença de Von Hippel-Landau.

Diagnóstico do câncer de rim

O câncer de rim tem o diagnóstico dificultado devido à ausência de sintomas e também pela localização do órgão, que fica na parte de trás do abdômen.

Para ajudar o médico na identificação do sintomas, além de exames de sangue que evidenciam alterações na urina, o paciente deve fazer ultrassom, que mostra a presença de nódulo ou massa renal; tomografia computadorizada do torax, que ajuda a verificar o estadiamento da doença; cintilografia óssea, que mostra se há metástases ósseas; e biópsia.

O diagnóstico também ajuda o médico a descobrir qual dos cinco tipos de câncer de rim acometeu o paciente. São eles:

1. Carcinoma Renal de Células Claras

Este tipo de neoplasia é visto entre 70% e 90% dos casos e é originado geralmente no tubo que filtra as impurezas do sangue.

2. Carcinoma Papilar

O segundo tipo de tumor mais comum relacionado ao rim, atingindo de 10% a 15% dos casos, pouco palpável por ser muito pequeno, no entanto, provoca dores fortes no paciente.

3. Carcinoma Renal Cromófobo

Este tumor é visto em 5% dos casos e não aparece nos exames, apenas quando exposto ao azul escuro ou roxo.

4. Ductos Coletores

Este tipo de tumor se origina em uma das estruturas do rim, chamado Tubo de Bellini, é raro e dolorido.

5. Sarcomatoides

É o tumor mais raro, visto em apenas 1% dos casos, mas também é o mais agressivo.

Como é o tratamento para o câncer

Este tipo de câncer tem bom prognóstico quando diagnosticado precocemente, ou seja, o tumor deve ter tamanho entre três e quatro centímetros.

Quando maior, os riscos envolvendo a doença aumentam e, geralmente é isso que acontece devido à dificuldade de diagnóstico da doença. O tratamento para a doença envolve medicamentos, dieta adequada e cirurgia para remoção do tumor.

Mas, diferentemente de outras neoplasias, o câncer de rim não tem boa resposta à radioterapia e quimioterapia. Como alternativa, os médicos usam métodos como a imunoterapia, que estimula o sistema imunológico do paciente com uso de medicamentos potentes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário